Startup usa inteligência artificial para criar o conceito de Timeback, aumentando a produtividade das empresas em até 3 vezes

A transformação digital é cada dia mais considerada o elemento de diferenciação estratégico das empresas. Poucos anos atrás, bastavam pequenas mudanças internas para uma companhia se dizer digital e até chamar a atenção do mercado. Hoje, esta transformação é muito mais complexa e envolve um cuidado central com o tempo e o tipo de tarefa que cada colaborador deve executar.

Assim como já não conseguimos mais imaginar as pessoas que trabalhavam nas caldeiras do Titanic, naquela famosa cena do premiado filme de James Cameron, existem tarefas hoje que são simplesmente inadmissíveis de serem executadas por pessoas. São atividades de cunho repetitivo, analítico, pouco criativo ou estratégico. Justamente para resolver este problema a Pareto lançou a TESS, uma IA Assistente Profissional, capaz de automatizar estas rotinas pesadas de trabalho, deixando cada colaborador muito mais estratégico, criativo e engajado com a empresa.

“Reumanizar pessoas e robotizar processos é a missão da Pareto”, afirma Rica Barros, CEO da startup. “Sabemos que as empresas esperam cada vez mais produtividade de seus funcionários. Mas, do outro lado, existe um ser humano que está cada dia mais exausto mentalmente. E é por isso que vivemos em tempos de tantas falhas manuais, que geram milhões de dólares em desperdício financeiro em todo o mundo. A Pareto não quer substituir o ser humano. Mas justamente ajudá-lo a retirar o peso das tarefas que mais o consomem, liberando a mente humana para fazer aquilo que faz de melhor: ser criativa, estratégica e brilhante”.

Timeback, melhor que cashback

O mercado de fintech passou por uma grande revolução com a chegada do cashback. Afinal, como não gostar de recuperar um percentual do seu dinheiro a cada compra? E é nessa linha que a Pareto lança mundialmente o conceito de timeback. Com a proposta, a IA da Pareto, TESS, vai se conectar à rotina de trabalho do funcionário e de fato automatizá-la, usando seu algoritmo inovador premiado internacionalmente pela própria Google. Em minutos, as atividades estão disponíveis numa espécie de quadro de tarefas online, para que o colaborador as execute com apenas um clique. É possível ainda monitorar o tempo total de vida recuperado com a TESS. E é claro que este tempo livre significa mais produtividade para a empresa e qualidade de vida para o funcionário.

“Somos capazes de triplicar o ano produtivo dos setores de marketing e vendas, usando a nossa tecnologia, o que significa quase 5 mil horas de trabalho economizadas”, ressalta Ramon Palomo, Co-fundador e Chief Revenue Officer da Pareto. “É por isso que mais de 15 mil empresas, de 84 países, decidiram dar um passo além na transformação digital conosco. Pense comigo: por que uma pessoa precisa manualmente distribuir o orçamento de uma campanha de mídia paga digital? Este analista vai gastar horas diariamente para executar esta sensível tarefa e, no fim do dia, vai acabar usando uma regra de três numa planilha. Com a TESS, essa pessoa pode gastar seu tempo decidindo a estratégia da campanha, enquanto a tarefa de gestão do orçamento é automaticamente executada por uma inteligência artificial que vai trabalhar 24 horas por dia, sem chances de erro de cálculo e, ainda por cima, vai usar os métodos matemáticos mais avançados para gerar ainda mais resultado”.

Inovação global

A Pareto foi uma das 3 finalistas mundiais do prêmio de maior inovação digital dado pelo Google em NY, em 2017 e 2018. Em 2019, a bigtech continuou a reconhecer a tecnologia da Pareto, premiando a empresa na categoria Google Display Innovation Awards. Em 2020, em decorrência da pandemia, a premiação foi cancelada.

Apesar de o mercado brasileiro ter sido inundado por startups nos últimos anos, a grande maioria dos casos de sucesso são de players nacionais copiando modelos de negócio vitoriosos já existentes no exterior. A Pareto pode ser considerada uma das poucas brasileiras a realmente gerar inovação em caráter global, tendo uma das tecnologias para RPA mais avançadas do mundo.

“Desenvolvemos uma tecnologia proprietária em estado da arte, que acreditamos ser o futuro do mercado de Robotic Process Automation (RPA)”, comenta Igor Donin, Chief Technology Officer da Pareto. “Trabalhamos todos os dias na tech da Pareto com o desafio de construir uma plataforma líder global em inteligência artificial”.

Mudança de cultura

O desafio maior encontrado pela startup tem sido vencer barreiras culturais, pois ainda é frequente o medo da inteligência artificial como ferramenta para substituir o ser humano. Mas os dados da empresa mostram justamente o contrário.

Em média, ainda no primeiro ano de uso da tecnologia da Pareto, as empresas já experimentam um crescimento nos resultados e no número de funcionários. Isto ocorre pois a Pareto aposta no uso da IA para empoderar o ser humano — e não substituí-lo. Robôs não pensam fora da caixa, tampouco são criativos. Liberando das mãos do funcionário as tarefas numéricas e repetitivas, que o robô sabe executar muito bem, ele finalmente tem tempo para gerar alto impacto na corporação, levando a crescimento e novas contratações.

Share This Post
Have your say!
00
Share This